27 de janeiro de 2009

DESVIO
Telma Moreira


Hoje amanheci em chuva...
Acordei em pedaços,
C’alma em dores,
Sem almejar espaços...
E transcorri em fios as horas,
Sem encontrar abrigos,
Nem discernir amigos,
Que me fizesse afagos...
Vem a noite, o dia vai...
E o anseio de findar meus ais...
Desmaiar de beijos,
Adormecer em desejos...
Um chamego, um apreço,
Qualquer coisa ao fim do dia,
Que afugente a nostalgia,
Do solitário corpo...
Ah, quem dera... nada muda!
Enquanto a vida impede
Meu coração de sorrir...
Derramo a dor do peito,
Ajeito o cabelo desfeito,
Limpo as cinzas do cinzeiro,
Vou me arrumar... e sair!

6 comentários:

  1. Excelente!
    Magnífico presente!
    Você realmente merece toda a gentileza e o carinho deste mundo, você tem a grandeza morando em seu coração e o triunfo da amizade habitando em sua alma...
    Fiquei espantado com o grande números de textos já publicados, você me surpreende e cada vez mais se assemelha a uma fábrica de poesias.
    Sucesso!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, querida Telma!
    Mais uma vez você nos brinda com uma taça de sensibilidade.
    A exteriorização de uma grande alma de uma grande mulher.
    Bjs
    Rogoldoni

    ResponderExcluir
  3. Vim te fazer um chamego e falar de meu apreço
    por suas poesias.
    Ficou lindo Telminha.
    Parabéns

    ResponderExcluir
  4. "Ah, quem dera... nada muda!
    Enquanto a vida impede
    Meu coração de sorrir..."

    Meu doce de criatura,
    seu coração jamais poderá parar de sorrir,
    ele transborda alegria e contagia nossas almas,
    com poemas lindíssimos.
    Amo ler você querida.
    Blog maravilhoso e poemas encantadores.
    Parabénsssssss

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Quando a emoção nos impede de falar... quando as letras são incapazes de dizer... quando o coração deixa a lágrima escorrer... a alma resolve apenas me acalentar... Cada um sabe do que falo, porque conhece muito mais de mim do que eu própria... Sem palavras, apenas me embriagando, ainda!

    ResponderExcluir